Estoril_Vila Morena

Estoril é o terceiro local a ser visitado pelo Re-conhecendo Fortaleza, próximo domingo, 24

Parte da nossa orla será destaque neste terceiro convite que o Vida Ciranda faz às famílias, pelo projeto Re-conhecendo Fortaleza. Vamos pegar carona no projeto Pôr do Sol, da Secretaria Municipal de Turismo (SetFor), e visitar o Estoril, na Praia de Iracema, e o Mercado dos Peixes, no Mucuripe. Assim, dessa vez, a dica será dupla. Oficialmente, o convite será lançado uma única vez, mas, pelo site você vai acompanhar como foi o nosso passeio nos dois locais e saber como aproveitá-los ao máximo com as crianças.

O Projeto Pôr do Sol foi lançado em junho deste ano. Como se já não bastasse toda a beleza do pôr do sol da nossa Capital visto da orla, o projeto propõe música boa ao fundo. Todos os domingos, no Mercado dos Peixes, das 17h às 18 horas, o crepúsculo é acompanhado pelo acordeonista Joais Viana, em um barco à deriva. No último domingo de cada mês, no mesmo horário, o espetáculo é na Praia de Iracema, no largo em frente ao Estoril, ao som do pianista Felipe Adjafre, que neste próximo domingo, 24, conta com o convidado bandolinista Rairtom Lima. E é pra lá que a gente vai!

Ratificamos que toda a lógica de construção do projeto Re-conhecendo Fortaleza pauta-se em valorizar nossa história, nossa cultura, nossa gente pelos locais em que propomos visitar com as crianças, a fim de gerar nelas, desde cedo, identificação, memória, pertencimento, afeto pelo local onde mora, muitas vezes, onde nasceu. Por isso, as dicas são acompanhadas de um pouco de história para auxiliar você a inserir as crianças no contexto histórico. Confira neste link o post que fiz explicando toda a teoria que gira em torno do Re-conhecendo Fortaleza.

Abaixo, preparamos um roteiro completo para você melhor conhecer, aproveitar e compartilhar histórias com seus pequenos. Ajude-os a compreender que há muito de nós naquelas vidas, naqueles ventos, naquelas velas… Vamos nos levar para lá!*

*Referência à música As velas do Mucuripe, de Raimundo Fagner

Orientação geral
Vista linda do pôr do Sol

O foco vai, especialmente, claro, para o Pôr do Sol. De quaisquer dos dois pontos, ele é en-can-ta-dor! Acredito que uma das grandes heranças que deixamos para as crianças que nos rodeiam é ajudá-las a compreender a beleza do simples, o que parece tão rotineiro, conduzi-las pela sensibilidade para ativarmos valores de ser, de sentir, de estar no mundo. Elas se espelham em nós.

ESTORIL
De acordo com a exposição Vila Morena, localizada na SetFor, o prédio que conhecemos por nome Estoril foi a primeira grande casa edificada próximo ao mar. Faz parte do conjunto que fora intitulado Vila Morena, na Rua dos Tabajaras, na Praia de Iracema, pelo proprietário, à época, o pernambucano José de Guimarães Porto (1876 – 1952), representante do industrial Delmiro Gouveia. O nome foi homenagem à esposa.

De acordo com as explicações de Michelle Militão, integrante da equipe de Comunicação da SetFor, quem muito nos ajudou a compreender a história do espaço, a construção do Estoril foi iniciada em 1915 e pôs à prova a engenharia de elevação de grandes estruturas daquele tempo, já que as dunas, os fortes ventos e as grandes ondas poderiam, a qualquer momento, pôr tudo abaixo. A Vila Morena funcionou como morada da família Porto por longos anos e compreendia um conjunto de casas. Além do prédio do Estoril, há também as estruturas onde, hoje, funcionam o Jamrock, a casa de uma moradora, o Ritmo Urbano, o Mambembe, o Lupus e o Pirata.

Em 1945, passou a funcionar como um cassino, para diversão dos soldados americanos, da base militar montada na cidade, durante a Segunda Guerra Mundial. Em 1948, foi arrendada aos portugueses, quando passou a se chamar Estoril, alocando bar e restaurante, bastante frequentados pela elite fortalezense da época. Entre os anos 1960 e 1970, era o point da juventude universitária. Na década de 1980, continuou a ser ícone da boemia da Praia de Iracema.

Em 1994, depois de um desabamento por fortes chuvas, o antigo edifício foi substituído por uma réplica, com modificações na planta original. Foi tombado em 1995. Houve novas reformas em 2008 e 2011. Em 2017, passou a abrigar a Secretaria de Turismo de Fortaleza, a partir da requalificação da Praia de Iracema. Atualmente, o prédio abriga também atividades culturais. Às segundas e quartas, aula de zumba às 17 horas, e, às terças, ensaio de tambores do Bloco Caravana Cultural.

No Espaço, há também a galeria Mário Baratta, com a exposição fotográfica Paisagens Inquietantes, Olhares Penetrantes, do brasiliense Druso Frota. Ela fica aberta todos os dias, em horário comercial, das 8h às 17 horas. Aos sábados e domingos, das 11 horas às 15 horas.

Deleitar-se com o Felipe Adjafre e seu convidado
Por volta das 17 horas, o som do pianista Felipe Adjafre começa a dar a trilha desse momento tão especial. Felipe é um dos mais respeitados pianistas do Brasil, vale toda atenção auditiva ao seu talento. Assim também ao seu convidado, o bandolinista Rairtom Lima. Uma dupla e tanto!

Antes ou depois do Pôr do Sol
Para aproveitar o entorno

Ponte dos Ingleses ou Ponte Metálica
Ela foi construída, ainda no início do século XX. A princípio, sua armação era de ferro e o lastro de madeira. Depois, o piso passou a ser de aço e, por ser toda em estrutura metálica, ficou conhecida como Ponte Metálica. Com a construção do Porto do Mucuripe, em 1938, a ponte foi desativada. Desde então, sua função vem pelo afeto e pela cumplicidade que os fortalezenses mantêm com ela, como espaço onde poetas, boêmios, amigos e apaixonados se valem para tecer sensibilidades em uma convivência carinhosa.

Ela está localizada do lado direito do Estoril, bem próximo. Estive na Ponte na manhã da última terça, 19. Entristeceu-me vê-la tão negligenciada. Sem manutenção, muitas tábuas estão soltas ou faltantes na estrutura, o que põe em risco a movimentação das pessoas no local. Os boxes, onde antes funcionavam lojinhas de vendas de produtos de praia e artigos da nossa cultura, sorveteria, hoje estão com a estrutura toda quebrada e abrigam pessoas em situação de rua, ou se fazem como pontos de consumo de drogas.

Há planos para reforma da estrutura, em um convênio Prefeitura e Estado. Segundo a SetFor, existe já um estudo encomendado ao Conselho Regional de Arquitetura e Urbanismo do Ceará (Crea-CE). Segundo a Setfor, espera-se o estudo para iniciar reforma. Não há previsões de datas. Se optarem por visitar com as crianças, sugiro muita atenção e cuidado para evitar acidentes.

Aluguel de patins e bicicletas
O largo em frente ao Estoril é um local bem amplo, na beiradinha do mar. É possível alugar patins, skates e bicicletas por um preço médio de R$ 8 a hora. No local, há também muitos vendedores ambulantes vendendo pipoca, água, salgados.

Bar do Mincharia
Outra parada para tomar uma água de coco cheia de história é o Bar do Mincharia. Apesar do nome soar meio inadequado às crianças, é um local muito família, à sombra de oiticicas e castanholas, na Rua dos Pacajus, do lado direito do Estoril, indo pelo caçadão, bem pertinho.

Na década de 1960, Antônio Aurílio Gurgel, o conhecido Mincharia, costumava receber na casa amigos ilustres, como César Cals e Gonzaga Mota. Depois da sua morte, em 1985, amigos se reuniram e formaram a Confraria do Mincharia. Tempos depois, sob nova administração e aberto ao público, passou a se chamar Bar do Mincharia. Ao longo de todos esses anos, o local marcou a vida boêmia de Fortaleza. Atualmente, é espaço para adultos e crianças, onde também se realizam carnavais, bailes, bingos.
Fonte: Fortaleza Nobre

Centro Cultural Belchior
Seguindo no calçadão, à esquerda do Estoril, você vai encontrar o Centro Cultural Belchior. Com 850 metros quadrados, ele foi inaugurado em maio deste ano, um mês depois da morte do cantor Belchior. Lá, vocês podem apreciar exposições de artes visuais que homenageiam o artista, outras pintadas por ele mesmo. Com auditório, duas galerias de exposição, salas multiuso, local para leitura e café, os espaços levam nomes de música do artista. De terça a sexta, o Centro pode ser visitado das 10 horas às 21 horas. Aos sábados e domingos, das 15 h às 21 horas.

Letreiro Fortaleza
Aquele cantinho bonito e tradicional para registrar sua passagem pelo local é o Letreiro. Ele fica bem em frente ao Centro Cultural Belchior.

Pier da João Cordeiro
A passarela sobre as águas é também bem próxima, quase em frente ao Centro Cultural Belquior. No Pier, no fim da tarde, além do pôr do sol, o encantador é a possibilidade de ver golfinhos pulando de lado pro outro. Lindos!

Serviço:
Projeto Pôr do Sol no Estoril
Quando: Último domingo de cada mês
Horário: das 17 h às 18 horas
Endereço: Rua dos Tabajaras, 397, Praia de Iracema.

MERCADO DOS PEIXES
Foi inaugurado ainda na década de 1960. Existia na área uma grande colônia de pescadores e o Mercado veio como facilitador para a colônia, para ajudar no comércio de peixes e frutos do mar. Alguns pescadores ainda mantêm as suas residências no local. De lá para cá, fortaleceu-se a tradição de comerciantes e moradores de Fortaleza de buscar produtos fresquinhos no Mercado. Em 2013, o espaço passou por uma grande mudança e revitalização. São 2 mil metros quadrados com 45 boxes para a venda de produtos e uma área para degustação. De acordo com a SetFor, todo o pescado vendido no Mercado dos Peixes é do litoral de Fortaleza e das redondezas, como Acaraú.

O que fazer no Mercado
O espaço no Mercado é bem amplo. Dá para sentar nas pedras para curtir melhor o pôr do sol, ou mesmo nas mesas que ficam disponíveis. Levem máquinas fotográficas, deixem que as crianças também possam fazer registros, fotografias, vídeos. Bacana chegar cedinho, umas 16 horas, para aproveitar o máximo possível. Em um instantinho, o sol se põe.

Deleitar-se com o sanfoneiro em um barco à deriva
Por volta das 17 horas, o acordeonista Joais Viana toca canções regionais em um barco à deriva, enquanto o sol se põe… Ele é um músico muito talentoso! A bordo da jangada, ele percorre toda a frente do Mercado.

Brincar no Parquinho
Do lado esquerdo do Mercado, há um pequeno complexo de brinquedos que podem também distrair as crianças. Como sabemos que elas não se fixam em uma atração só por muito tempo, pode ser uma opção para a garotada entre uma olhada e outra ao pôr do sol.

Fazer um lanche com as crianças
Há, claro, muitas opções de peixes e frutos do mar no cardápio do Mercado. A janta, inclusive, pode ser por lá. O preço é acessível. Ou apenas aquela água de coco com bolinha de peixe para enganar a fome da meninada. No começo da noite, logo depois da atração do acordeonista, começa um forró pé de serra muito bom.

Caminhar no calçadão
Com olhos atentos, dá pra deixar as crianças aproveitarem bem também o caminhar pelo calçadão. A uns 500 metros do Mercado, em frente ao Parque Bisão, há um amplo espaço para brincadeiras.

Estátua de Iracema
No amplo espaço em frente ao Parque Bisão, está localizada a Estátua Iracema Mucuripe.
A área é parte da 2ª etapa de requalificação da Beira Mar, entregue há menos de 1 ano. A escultura é do artista plástico pernambucano Corbiniano Lins e mostra uma cena do romance onde está Iracema com seu marido, o português Martim Soares Moreno, o fiel cachorro Japi e o filho do casal, Moacir. Em meio ao cenário do Mucuripe, onde predomina as embarcações marítimas, a escultura retrata o momento da partida da família em uma jangada. Foi inaugurada em 24 de junho de 1965, durante o centenário do romance. Sua última restauração foi realizada em maio de 2012.
Fonte: Lides e algo mais

Letreiro Ceará
Assim como na Praia de Iracema, o letreiro é uma boa opção para tirar fotos com as crianças no meio das letras. Também está localizado no largo, em frente ao Parque Bisão.

Dá para tomar banho de mar?
Interessante verificar a balneabilidade do local, no dia.
Estive no Mercado no domingo, dia 17. Uma das galerias pluviais, que deságua no mar bem pertinho do Mercado, estava bem cheia de lixo… Se você verificar que o mar está próprio para banho, tente se afastar um pouco mais das galerias. Diante de um banho com as crianças, não esqueça toalhas e mudas de roupas.

Passeio de Escuna
Bem próximo ao Mercado dos Peixes, é possível fazer passeios de escuna pela orla de Fortaleza. Mas, pelos horários, você terá que escolher entre ver o pôr do sol do Mercado, ou embarcado no veleiro, porque o horário do passeio de escuna é das 16h às 18 horas. Você pode escolher por viver as atrações separadamente, em dois domingos. Não há restrição de idade. O passeio custa em média R$ 45. Vale muito a pena!

Serviço:
Projeto Pôr do Sol no Mercado dos Peixes

Quando: Todos os domingos
Horário: das 17 h às 18 horas
Endereço: Av. Beira Mar, 4670, Meireles / Mucuripe

Deixar um comentário