Colônia de Férias do Ipom traz os ODS da ONU como norteadores das atividades

0
118
Na manhã da última segunda, havia futebol e carimba, entre as atividades

Nesta semana, fomos conhecer o Instituto Povo do Mar (Ipom), uma iniciativa de esperança, acolhimento, afeto e luta pela infância e juventude, localizada na Praia do Futuro. Participamos de uma manhã da Colônia de Férias Planeta Sustentável – Brincando com os ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável). Com mais de 200 crianças e adolescentes, a manhã foi de música, esportes, leitura, pintura, dança, brincadeiras livres, novas amizades, diversão e muito amor.

O IPOM
O Instituto existe há nove anos. Foi fundado por quatro surfistas como uma organização sem fins lucrativos com o intuito de oferecer, inicialmente à comunidade do Serviluz, oportunidades de educação pela arte, pelos esporte e por cursos de conhecimentos específicos.

Atualmente, atende 426 crianças e adolescentes de 5 a 17 anos e já estendeu sua área de atuação, atendendo famílias do Vicente Pinzón ao Caça e Pesca, de acordo com Márcia Virgínia, coordenadora de envolvimento organizacional e voluntariado do Ipom.

O Programa de atividades funciona todos os dias, no contraturno das aulas da garotada. Ao longo da semana, a formação passa por três grandes eixos que se subdividem em núcleos menores: arte – arteterapia, arte visual e arte produção; esporte – aulas de surfe, capoeira e educação física; e educação / cursos específicos – inglês, informática, robótica sustentável, leitura, escrita e reforço escolar, como enumera o coordenador de operações do Instituto Carlos Bezerra.

A organização conta hoje com uma equipe de 50  colaboradores contratados, além de 10 voluntários ativos e cerca de 50 voluntários pontuais, que cooperam eventualmente em ações específicas. Dos funcionários, aproximadamente 40% é da própria comunidade local, “o que facilita muito o trabalho, porque eles conhecem todas as famílias”, esclarece Márcia.

O  grupo de voluntários, fixo ou flutuante, recebe boa parte de seus integrantes vindos de outros bairros da Capital ou de outros países, como o Lukas Roose, 23, da Bélgica.  Estudante de Cooperação Internacional, Lukas explica que o local onde estuda possui uma ligação direta com o Ipom. Ele fala que houve a possibilidade de ele escolher outros lugares do mundo para estagiar, como Peru, Índia e Senegal, mas ele quis o Brasil. “Escolhi pelo Ipom, por causa do trabalho muito interessante que eles realizam”. Lukas chegou há três semanas no Brasil e pretende ficar até o final de abril de 2020. “Fortaleza é uma cidade muito bacana, é bonita, as pessoas são gentis e felizes”, avalia o estudante belga.

Quando começou, em 2010, o Ipom funcionava no Titanzinho. Em 2016, recebeu da Prefeitura a autorização para funcionar na Praça da Paz Dom Hélder Câmara, que já foi conhecida como Praça 31 de março, no Vicente Pinzón. Na Praça, existem seis equipamentos utilizados pelo IPOM, onde as atividades com as crianças são realizadas e também funciona a sede administrativa e a biblioteca do Instituto. Além disso, há também o espaço chamado Surf House, única área alugada, já na praia, onde acontecem as acolhidas com os grupos, em cada início de turno, e as concentrações das tarefas que acontecem na areia ou no mar.

Como ajudar o Ipom
Para dar conta de todas as despesas, o Ipom recebe doações pontuais e recorrentes, vindos de pessoas físicas e jurídicas. Os Mercadinhos São Luiz é o financiador atual mais importante da alimentação das crianças, que recebem lanches duas vezes por dia, pela manhã e à tarde.

De acordo com a coordenadora Márcia, há muitas maneiras de ajudar o IPOM.  “E nós precisamos da ajuda de todos para continuar os trabalhos. Os desafios são enormes. O que nos move é saber o quanto tudo o que é feito aqui faz a diferença na vida dessas crianças, dessas famílias. É, de fato, esperança. Transformamos vidas”, resume.

A fala de Márcia ganha força no sorriso de uma das mães beneficiadas pelo Instituto, Ana Márcia Pereira Paiva Neves, que possui três filhos. O mais velho, de 11 anos, participa desde os oito anos. Encontramos Ana matriculando o filho de cinco anos, com a promessa de, logo logo, trazer também a caçula, ainda bebê.  “O projeto ajuda muito, muito mesmo. O meu mais velho já melhorou na escola, a gente percebe ele mais interessado, até acorda mais cedo, já recuperou a nota da escola” comemora a mãe.

Ana Márcia e os filhos são uma das famílias beneficiadas pelo IPOM

Aliás, pais, mães e responsáveis com filhos matriculados no Ipom têm também compromisso marcado com a instituição, bimestralmente, ressalta a diretora executiva Fabrine Andrade. “Fazemos reuniões, conversamos com as famílias sobre temáticas importantes para o desenvolvimento das crianças. A próxima, por exemplo, é sobre transtornos e ansiedades. Fazemos também o Dia De Quem Cuida. “Muito para o fortalecimento de vínculos entre crianças e responsáveis”, reforça Fabrine.

Márcia enumera maneiras de colaborar com a instituição:

Precisamos de mais alimentação, de todos os tipos de materiais escolares para trabalhar com as crianças. Precisamos de voluntários para as aulas de leitura, matemática, português, dança, teatro, música, principalmente, instrumentos musicais, como flauta. Elas amam! E também, quem puder, nos ajudar com as aulas de idiomas, quem tiver fluência em inglês, espanhol, para ajudar a compreensão melhor. Precisamos muito de voluntários!  Precisamos de reforços também para as aulas de robótica, com a doação de equipamentos de informática que já não funcionam mais“.

Márcia acrescenta ainda que a organização pensa em construir uma quadra e uma brinquedoteca “para termos mais espaços lúdicos para desenvolver atividades com as crianças.”, justifica Márcia.  “Precisamos de patrocínios , de empresas que possam nos ajudar!”, convida.

Colônia de Férias
Do dia 25 de novembro até o próximo dia 13, O Ipom está de portas abertas para que crianças e adolescentes não regularmente matriculados no Instituto possam viver a Experiência Ipom, repleta de atividades que desenvolvem competências e habilidades socioemocionais e motoras.

Intitulada Planeta Sustentável – Brincando com os ODS, a Colônia de Férias do Ipom traz atividades lúdicas de educação ambiental, inglês, robótica, música, teatro, leitura, escrita, artes plásticas, além de práticas esportivas como surfe, capoeira e modalidades de areia, envolvendo as crianças e os adolescentes “em uma onda de amor e aprendizados”, como enfatiza os dizeres de divulgação nas redes sociais.  Ao todo, 17 oficinas têm o objetivo de colocar em prática a agenda de 17 objetivos da Organização das Nações Unidas (ONU).

Fabrine diz que os princípios que regem os ODS são vistos pelas crianças de maneira muito natural, dissolvidos nas muitas atividades, ao longo da programação. “Seja assistindo aos filmes, lendo os livros, aprendendo com a alimentação saudável que a gente oferece, nas atividades. Aqui, a inclusão social, por exemplo, é uma das prioridades. Recebemos muitas crianças com deficiência”, destaca Fabrine.

Vale a pena viver a Experiência IPOM com as crianças, nestas férias. Leve os filhos, vislumbre possibilidades de também ajudar! Você pode obter mais informações sobre a programação, pelo telefone:  (85) 3111-5572

SERVIÇO: 
Colònia de Férias Planeta Sustentável – Brincando com os ODS
Instituto Povo do Mar 
Quando: todos os dias da semana, até o dia 13 de dezembro.
Horários:
Manhã: das 8h30min às 11h30min
Tarde: das 13h30min às 16h30min.
Valor: A diária custa R$ 50 (manhã e tarde). Quem aderir a duas semanas paga R$ 250.
Endereço: avenida Dioguinho, 3519, Praia do Futuro (Praça da Paz – Dom Hélder Câmara).
Mais informações: (85) 3111-5572

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here