Férias na cozinha, com as crianças

0
202
Meus filhos sempre curtiram ir para a cozinha comigo. Eles não são exceção. Geralmente, criança adora. Não deixa de ser mágico misturar ingredientes e ver nascer algo novo. Os cheiros, os gostos, os instrumentos, o passo a passo, a espera pelo resultado, o comer junto. O processo inteiro traz aprendizados multissensoriais. E lições que extrapolam o paladar. E eu sempre gostei de tê-los comigo nesse preparo alimentar tão afetivo. Hoje, fizemos juntos um bolo de milho para o lanche da tarde. Nutritivo e huuuum… muito saboroso! Além de simples de fazer!
⠀⠀⠀⠀
Compramos as espigas de milho e o coco na volta da aula de natação, no Mercado São Sebastião (Fortaleza-CE). Na preparação, eles participaram de todo o processo. Retirar o milho da espiga e ralar o coco podem parecer atividades perigosas para as crianças, já que lidam com faca e ralador. Aqui em casa, eu nunca os neguei o manuseio. Sempre fui pelo orientar, ensinar, acompanhar. Fortalecer a responsabilidade na tarefa que se propõem realizar e a autoconfiança de que são capazes começa nessas ações do dia a dia.  Dividimos a feitura do bolo em quatro fases.
 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Na primeira, cortamos o milho da espiga. Faca com dente e tudo. Minha atenção maior era para o Luquinhas. Orientei que a espiga deveria ficar em pé e a mão que segura a espiga precisa sempre ficar acima da faca. Eles meio q adaptaram a técnica ao jeito deles. Eu acompanhei o tempo todo. Não os deixo sozinhos, na cozinha, quando estamos cozinhando juntos. Deu tudo certo. Eles conseguiram. Luquinhas conseguiu cortar uma espiga quase toda e ficou orgulhoso de si. Gabriel também.

A segunda fase era ralar o coco. Gabriel já está desenrolado na técnica. Luquinhas quis tentar. Machucou a mão. Não chorou, mas ficou chateado. E eu falei para ele que não havia nenhum problema em errar, em se machucar. Falei que ele tinha sido muito bom na fase anterior e que, na segunda, ele só precisaria de um pouco mais de tempo e treino para fazê-la bem. Reforcei que quando a gente está aprendendo, os machucados são normais. São eles que nos ensinam muito. “Próxima vez, você já vai fazer bem melhor”. Ele sorriu, me abraçou, colocamos curativo e ele já quis participar da próxima fase.

Na terceira fase, pomos todos os ingredientes no liquidificador, adicionando-os aos poucos e esperamos dar o ponto. Na quarta, preparamos a forma, acendi o forno e coloquei para assar.
Acompanhe abaixo a receita simples e toda natural que utilizamos. Além de usarmos o milho e o coco mesmo, esta precisa não precisa de leite, água, farinha de trigo, fermento, óleo e ovo.
Ingredientes: 
– 10 espigas de milho
– 2 xícaras de coco ralado (1 coco)
– 1 xícara e meia de açúcar demerara
– 3 colheres de manteiga ghee
– 1 pitada de sal
Modo de fazer:
Corte o milho da espiga. Rale o coco. No liquidificador, inicialmente, ponha a metade da quantidade de milho, o açúcar e a manteiga. Logo que todos os ingredientes forem triturados, adicione o restante do milho e aguarde o ponto da trituração completa. Depois, adicione todo o coco. Triture. A massa está pronta!

Depois, ligue o forno. Enquanto ele aquece, prepare a forma com manteiga e um pouco de farinha de trigo integral. Ponha a massa na forma e leve ao forno 200º de 50 minutos a 1 hora e 10 minutos, até que ele fique douradinho por cima.

O bolo está pronto! Se vocês forem fãs de bolo e de milho, como nós, vão adorar esta dica!
SETE BENEFÍCIOS QUE O COZINHAR JUNTO TRAZ PARA A RELAÇÃO DA CRIANÇA COM SEUS CUIDADORES 
Respeite o tempo da criança
Lembre-se de que a criança tem o tempo dela. Quando decidir fazer, reserve um bom tempo para a atividade e vá sem pressa. Nada de ficar aperreando para que a criança termine logo. Curta o momento junto com ela, observe, tire fotos se achar necessário, mas, o mais importante, não saia de perto, acompanhe e se divirta com ela! 
Sem perfeições
Não exija resultados maravilhosos, não exija que ela faça como você, não grite com ela, não perca a paciência. O momento, lembre-se, deve ser de diversão e de aprendizados. Encoraja-a a realizar a tarefa, elogie o desempenho e a evolução. Se perceber que ela não consegue, que está errando, reforce que não há problemas em errar. Aos poucos, ela vai conseguir porque vocês ainda vão fazer muitos bolos juntos! 
Não se incomode com a sujeira
Sim, é mais fácil fazer tudo sozinha. Crianças na cozinha, sim, sujam muito mais, espalham muito mais, até estragam muito mais. Mas tenha paciência. Respeite os limites dela e enalteça sempre o valor imenso de vocês estarem juntos preparando a receita. Vocês não estão criando apenas uma receita, mas estão criando memórias inesquecíveis, é importante que estas lembranças sejam de carinho, de gentileza, de compreensão, de amor, de alegria.
Não desista da criança
Jamais diga: “Aaah, você não está sabendo fazer, sai daqui que eu vou fazer sozinha mesmo”. Poxa, nada mais devastador para a autoestima de uma criança quando nem a mãe acredita no potencial (e no interesse!) dela. Ela deve estar se esforçando tanto para realizar a tarefa, não jogue um balde de água fria em toda expectativa e confiança dela. Ela só precisa que você acredite nela para se desenvolver bem e continuar tentando e curtindo com alegria o aprendizado.
Autonomia, independência
Se faz parte dos seus planos formar uma criança que dependa cada dia menos de você, autônoma, independente, levá-la para a cozinha deve fazer parte das estratégias. Além das memórias e de toda a riqueza de aprendizados (de paladar e de vida!) no lidar com os ingredientes e com a preparação, ela está aprendendo a se virar sozinha. É ao seu lado que ela deve aprender a função de cada coisa e que é possível, e mesmo prazeroso, fazer as tarefas por si, sem, necessariamente, pedir sempre a alguém para fazer. É ao seu lado que ela deve aprender a não depender de você. Você não estará ao lado dela a vida inteira. Desenvolver múltiplas habilidades, desde a infância, passa por isso.
Sentimento de colaboração 
Levá-la, desde cedo, para fazer com você as tarefas de casa, como cozinhar, traz para ela, desde cedo, o sentimento de colaboração. Mais tarde, será muito mais fácil engajá-la nos fazeres domésticos, responsabilizá-la por algumas atividades do dia a dia da casa e ter consciência de que essa rotina é de todos os moradores.
Alimentação saudável
Cada passo do adulto, cada ação, cada decisão, cada fala é exemplo. No preparo dos alimentos também. Além do dia a dia, de ela ver o discurso do ser saudável na rotina e dentro da geladeira, preze por realizar receitas com a criança em que você utilize ingredientes o mais natural possível. Passe para ela a importância da alimentação saudável. Esta deve ser uma das heranças mais incríveis que você passará para ela. Repercutirá pela vida inteira. É saúde, é vida melhor! 
Espero que curtam muito este momento! Depois, passa aqui para me contar como foi!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here