Roteiro de férias (ou de qualquer época do ano!) na Chapada da Ibiapaba

2
388

O Vida Ciranda traz muito mais que uma dica de férias (ou de qualquer época do ano!), mas um roteiro inteirinho em um conjunto de cidades localizadas não muito longe, aqui mesmo no nosso estado: Chapada da Ibiapaba! Viçosa do Ceará, a 348 km da Capital, será nossa anfitriã e região mais contemplada no nosso roteiro na serra! Vida Ciranda viveu a Chapada e traz agora as melhores indicações para vivê-la com as crianças: tem dicas de hospedagem, alimentação, guia turístico e lugares incríveis que valem a pena conhecer com os filhos. Muitas trilhas, natureza, riqueza de biomas, cultura regional, patrimônio histórico, abundância, beleza!

Mais importante que tudo: muito fortalecimento de vínculos familiares em um tempo de qualidade vivido entre pais e filhos. É criação de memórias que ajudam a construir laços fortes de amizade, cumplicidade, companheirismo, confiança, autoestima e amor das crianças pelos pais, das crianças pelo mundo, dos pais à humanidade inteira. É também cultivar o sentimento de pertencimento ao estado onde nasceu, valorização de culturas, histórias e origens.

Neste mês de julho, Ibiapaba recebe também seu 15º Festival de Música , um encanto a mais para aproveitar na região! O Festival começa amanhã, dia 20, em Viçosa, e segue até o próximo fim de semana, sábado, dia 27. O megaevento de formação musical enaltece e reúne a música popular, a música erudita e a produção musical com corpo docente formado por mais de 30 professores e quase mil estudantes selecionados, com 40 atrações musicais.

Viçosa do Ceará é a principal cidade deste nosso destino. É a cidade mais antiga da serra da Ibiapaba, colonizada pelos jesuítas da Companhia de Jesus, a partir do século XVI. As altitudes médias da Chapada são de 750m. É conhecida como a região de todos os biomas. De norte a sul e de leste a oeste de toda a Chapada, ocorrem variações nítidas de condições climáticas. Na sua vertente voltada para a Depressão Sertaneja cearense, em especial na parte nordeste, possui vegetação tropical frondosa e densa, sendo considerada Mata Atlântica, por estar em uma zona de transição possui microbiomas de cerrado, matas dos cocais, floresta amazônica e caatinga; em alguns pontos, estas vegetações aparecem misturadas.

Nesta época do ano, as temperaturas na Chapada variam de 19º a 30º. À noite, o friozinho pode exigir casacos, calças compridas e meias, principalmente, nas crianças.

Nosso roteiro inclui quatro cidades próximas que fazem parte da Chapada da Ibiapaba: Viçosa, Ubajara, Tianguá e São Benedito.

HOSPEDAGEM

Para conhecer um pouco da Chapada, ficamos hospedados em Viçosa do Ceará. Depois de sondar boa parte dos hotéis e pousadas, buscando um equilíbrio entre conforto, ambiente mais natural e rústico e preço, encontramos a Pousada Serra Verde. Ambiente muito acolhedor, funcionários e direção muito disponíveis para nos ajudar e área tranquila para as crianças brincarem. Há opções de apartamentos com ar condicionado e chalés, sem forro, com ventiladores. Optamos pelos Chalés. Há jardins bonitos com boa variedade de flores e plantas ornamentais.

Área Externa

A área interna do chalé é bem simples, com quarto e banheiro. No quarto, há uma cama de casal box com colchão de molas, uma cama de solteiro, rede, ventiladores de teto, mesa com 2 cadeiras, frigobar, TV, banheiro com água quente e varanda privativa coberta. Nos chalés rústicos não há ar condicionado, apenas nos apartamentos.

Há as piscinas (adulta tem 1,40 de profundidade, infantil tem 70cm de profundidade), permitido das 9h até as 20 horas.

Café da Manhã
Muita variedade de bolos, pães, biscoitos e cereais, além do cuscuz, da tapioca feita na hora, das frutas e das bebidas: café, leite, sucos variados, iogurtes.

A pousada possui estacionamento privativo para hóspedes.
A diária de nós quatro saiu por R$ 180.

Mais informações:
Vanessa Frota (gerência): 99249 6487

ALIMENTAÇÃO FORA DA POUSADA
No centro da cidade de Viçosa, encontramos a Padaria Pão da Vida, que, além de combinar ambiente agradável, variedade de comida boa e ótimo preço, ainda investe sua renda no bem estar de crianças e jovens em vulnerabilidade social, e suas famílias. Muito bom, heim?!

A  Padaria existe desde o comecinho da década de 1990. Foi criada por uma organização social e espírita O Pobre de Deus com a finalidade de dar sustentação a obras sociais, educativas e culturais, localizada em Oiticicas, no distrito de Viçosa do Ceará. A Pão da Vida funciona em um casarão histórico da cidade que, de acordo com os moradores da cidade, foi o local onde nasceu o jurista Clóvis Beviláqua.

A Padaria vende almoço, no peso, com mais de 30 pratos, muito saudável, com preço bem acessível; jantar, no peso, com sopas, refeições leves, saladas, pizzas, cuscuz, tapiocas; além de Café da Manhã e lanches variados. Funciona das 5h30min às 22 horas. Aos Domingos, fecham das 14h às 17 horas.

Mais informações:
Sr Valdir – (88) 3632-1444

ROTEIRO NA CHAPADA DA IBIAPABA

Guia Turístico
Antes de focarmos no roteiro supimpa que preparamos para conhecer alguns pontos da Chapada, sugiro atenção para a importância de ter por um guia de turismo que conheça muito bem a região.  Boa parte das atrações são por trilhas que apenas uma pessoa acostumada com a serra, e com todas as suas particularidades, é possível fazer e conduzir com segurança! Então, não esqueça: busque um guia!

Nosso super guia foi Cristiano Cavalcante, 43. Cristiano trabalha como guia há mais de 15 anos em todas as cidades da região da Ibiapaba. No vídeo, ele explica um pouquinho sobre as origens da cidade de Viçosa.

Cristiano tem empresa chamada LC Turismo

Mais informações:
Cristiano Cavalcante (LC Turismo): 99914 1020

Roteiro na Chapada

Confere abaixo este super roteiro que elaboramos para conhecer a linda Chapada da Ibiapaba. É um guia para ser cumprido de três a quatro dias. Indicado para famílias com crianças a partir de 5 anos. Bem, Luquinhas aqui tem 4 anos e aguentou bem tudo que foi oferecido, mas houve momentos – poucos, mas houve -, em que levamos Lucas no tuntum para que ele não se cansasse tanto.

Começamos pelas construções históricas e paisagens de tirar o fôlego da belíssima Viçosa do Ceará. Depois, alargarmos a imensidão de beleza pelas cidades próximas. Há fotos de boa parte de cada pedacinho deste roteiro!

  1. Centro histórico de Viçosa do Ceará.
    O conjunto histórico e arquitetônico de Viçosa do Ceará, uma das mais importantes vilas de índios do Brasil do século XVIII, foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em 2003. Espalhados pelas praças, ruas e avenidas, os imóveis são uma viagem no tempo. Entre os destaques, estão as praças General Tibúrcio e Clóvis Beviláqua, esta erguida em frente à Igreja Matriz de Nossa Senhora da Assunção. Neste roteiro, incluímos:
    Igreja matriz de Nossa Senhora da Assunção, a primeira igreja construída no Ceará, que abriga também o Memorial Padre Antônio Vieira
    – Memorial Clóvis Beviláqua
    – Teatro Pedro II
    – Casarão Rubens Dias
    – Lagoa Pedro II
    – Casa dos Doces e Licores
Igreja matriz de Nossa Senhora da Assunção

Praça General Tibúrcio / Fonte Luminosa

A Praça General Tibúrcio, em Viçosa do Ceará, foi inaugurada no dia 1º de janeiro de 1898, 10 anos depois da construção da nossa Praça General Tibúrcio, conhecida como Praça dos Leões, em Fortaleza.

Os meninos amaram esta Praça, que fica localizada em frente à Padaria Pão da Vida. Há uma fonte, cheia de luzes coloridas, de águas que dançam no ritmo de músicas que saem das caixas de som instaladas nos arredores da Fonte.

É claro que a gente fez festa ali mesmo! Muita dança e diversão no meio da Praça! No primeiro vídeo, Luquinhas encantado com a dança da água. No segundo vídeo, gravado pelo Gabriel, nós dançando “nem aí” para os que passavam. 🙂

 

Casa dos Licores

Pra mim, também ficou conhecida como A Casa das Memórias. Gente, que coisa mais linda! Fiquei mesmo bem encantada com essa casa inundada de histórias muito bem conservadas pelos filhos da dona Terezinha, das cozinheiras mais conhecidas e reverenciadas de Viçosa. Dona Terezinha já é bem idosa. Hoje, é a filha mais velha Tereza Cristina quem conduz a produção de licores, cachaças, geleias, polvilhos e sequilhos mais deliciosos, dos símbolos da região.

Visitar a Casa dos Licores é adentrar noutras épocas. A história da família dos licores se funde com a história da própria cidade e, junto com a condução primorosa e poética de dona Tereza, ao nos guiar pelos cômodos da Casa, vamos revivendo afetos, cultura, costumes, tradições, arte e as passagens da vida intensa de um amor imenso entre dona Teresinha e o senhor Alfredo Miranda.

É incrível como sentimos a presença das vidas que passaram pela casa e como elas foram esculpidas lindamente, ao longo do tempo, pelas artes que o crescer se encarregou de revelar na vida dos filhos do casal: há pinturas, poesias, canções, artesanatos, esculturas feitas pelos filhos já adultos que interagem bem com inúmeras fotografias deles em várias fases da vida. Enquanto visitamos a Casa, o som do pífano tocado pelo senhor Alfredo nos acompanha, por um som posto na parte central da residência. Dona Terezinha está na cozinha, mas já não interage como antes.

São mais de 86 sabores de licores, na Casa, feitos por dona Tereza, que também capricha nos rótulos de letras desenhadas. Segundo dona Tereza, começou com quatro tipos: jenipapo, abacaxi, maracujá e tangerina. Um dos mais vendidos é o canela de cunhã, pela sua fama de afrodisíaco. Achei curiosa também a história do licor de Jenipapo. Há muito tempo, ele já era preparado logo que a mulher descobria que estava grávida. Como o tempo de preparação dura cerca de seis meses, o tempo de gestação do bebê acabava sendo também o tempo de preparação da bebida que era servida aos visitantes, logo que a mulher paria, como ritual de comemoração pela chegada da nova vida. Abaixo, dona Tereza explica mais um pouco sobre o processo de preparação dos licores e os rituais familiares de celebração regados a eles:

 

Olha este próximo vídeo, que beleza! Dona Tereza recita a poesia composta pela irmã caçula Heloísa Helena, que homenageou a infância que existiu, existe ainda e resiste nos corações dos que vivem na Casa dos Licores. Na parede, a foto de todos os filhos de dona Terezinha e do senhor Alfredo, ainda criança. Há uma boneca, no meio deles, e a própria dona Terezinha, em dias mais atuais. A boneca é o “bebê” que acompanha, hoje, dona Terezinha. Com a perda considerável da lucidez, ficou nela o instinto forte da maternidade. E os filhos acolheram esse sentimento da mãe. Emocionante!

 

Casa dos Doces

 

A Casa de Doces da Dona Cilene é outro ponto muito gostoso deste roteiro. Há uma imensa variedade de doces produzidos, desde o famoso doce de Jaca em caldas até mesmo a mistura de várias frutas com doce de leite.

2. Polo Turístico, Artesanal e Cultural Igreja do Céu

É o ponto mais alto da cidade de Viçosa do Ceará, seu ponto turístico mais visitado, erguida no topo do morro, a 900m de altitude. Abriga a Igreja de Nossa Senhora das Vitórias, conhecida como Igreja do Céu, com mais de 80 anos. O complexo passou por uma reforma de revitalização e ampliação recente, entregue em dezembro de 2018. No dia 31 de março deste ano, a torre principal da Igreja do Céu, com a imagem do Cristo Redentor, desabou. Uma tristeza imensa para a cidade.

Para chegar à igreja, o acesso pode ser feito de carro, por rua asfaltada, ou a pé, subindo os 324 degraus da famosa escadaria do complexo. Fomos todos de carro, mas as crianças e eu resolvemos viver aquele ponto da cidade intensamente. Descemos e subimos a escadaria inteira! Haja fôlego!

3. Pedra do Itagurussu

Dizem os moradores que toda Viçosa foi erguida sobre a Pedra do Itagurussu. Se ela deslizar, leva a cidade inteira. É uma rocha com cerca de 100 metros de largura formando um abrigo natural que foi ponto de apoio para colonizadores da região. Do seu interior, jorram inúmeras fontes de água, formando bicas. De acordo com Cristiano, nosso guia, é o local que possui as únicas fontes da região que nunca secam, mesmo nos tempos das piores secas! Dela, vê-se a planície sertaneja. Pesquisas realizadas no local, de acordo com Cristiano, apontam a água como uma das mais cristalinas do Ceará.

 

4. Trilha da Pedra do Machado (cerca de 1km)

Vista belíssima para boa parte da chapada da Ibiapaba. A trilha é ainda bem natural, sem grandes intervenções humanas.

5. Trilha do Castelo de Pedras (Cerca de 2 km) 

Formação de rochas de arenito que parecem torres de castelo (mata úmida com características que se assemelham à Floresta Amazônica. Há também a vegetação cerrado). Aqui, a trilha é um bocadinho mais longa, com trechos mais delicados para as crianças, porque há pedaços da caminhada cheios de urtiga, plantas que queimam a pele. Aí, ou se está de calças para aguentar, ou vai se esquivando, andando devagarzinho, para não sair da trilha com as pernas todas cortadas. Para as crianças, esse manejo é mais complicado. Aqui, houve trechos em que os dois foram levados nos braços ou no tuntum.

Ponto 6 – Cachoeiras 

Há várias cachoeiras na região. Fomos na Cachoeira da Pirapora, localizada a uns 30 km de Viçosa. É um conjunto de quedas d’água formando quatro cachoeiras em escala crescente. Por estarmos com as crianças, fomos na menor. Segundo o guia Cristiano, ela é das cachoeiras da região que não secam, mesmo nas épocas do ano em que não chove tanto.

7. Parque Nacional de Ubajara

O Parque Nacional de Ubajara é uma Unidade de Conservação Federal de Proteção Integral, de acordo com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), vinculado ao Ministério do Meio Ambiente (MMA). Está localizado nos municípios de Ubajara, Tianguá e Frecheirinha. Uma experiência com a natureza inesquecível! Dispõe de muitos atrativos como: trilhas, mirantes, grutas e cachoeiras. No interior do Parque, há também um teleférico (bondinho), administrado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Turismo (SETUR). No momento, o bondinho está parado, com promessas de reativação no segundo semestre ainda deste ano.

Uma das principais atrações do Parque é a gruta de Ubajara. Por trilha, fica a 7 km da recepção do Parque. Impossível fazer com crianças muito pequenas. Não fomos à gruta, dessa vez. Há caminhos de carro, mas, como nosso objetivo era mesmo ‘trilhar’, escolhemos uma das menores trilhas, para se ajustar à disposição das crianças. A trilha da Samambaia nos proporcionou um caminhar maravilhoso pela serra, de intensidade leve, um pequeno arvorismo e ainda nos levou ao exuberante Mirante da Gameleira, de onde avistamos cachoeiras e uma vista panorâmica do Parque. Foram 2500 metros de caminhada, ida e volta.

Pela Trilha da Samambaia também é possível ir até a Cachoeira do Cafundó. São 3000 metros de caminhada, só de ida, com intensidade moderada. Decidimos retornar da Gameleira, que já nos rendeu lembranças inesquecíveis de uma primeira visita.

 

A Trilha da Samambaia até o Mirante da Gameleira custa R$ 8 por pessoa. Fizemos também o roteiro histórico-cultural pelo Parque que nos custou R$ 5 por pessoa.

8. Sítio do Bosco Park

Com área de aproximadamente 20 ha, trata-se um local agradável para também levar as crianças, com atrações naturais, como trilhas e mirantes, e estrutura com restaurantes e piscinas, em Tianguá. Dispõe de uma das melhores áreas para acampar da região e rampa de voo livre. Chegamos ao Sítio do Bosco no terceiro dia desta expedição, com as crianças já cansadas, e curtir as piscinas do Sítio foi uma diversão só! Há uma trilha que nos programamos para fazer, no Sítio, mas as crianças não estavam mais a fim: a trilha da caverna do morcego, antiga morada dos índios Tremembé, que viveram ali há quatro séculos. Deixo a dica para melhor aproveitar o espaço.

Algo que aproveitamos bem foi o Mirante do Sítio, que nos rendeu um sentimento de gratidão enorme, depois de tanto que vivemos nessa região linda. Somos mesmo um pontinho numa vastidão gigante! E que bom ter a oportunidade de estar ali e ver tanta beleza!

O Sítio cobra R$ 10 pela entrada e R$ 10 o acesso às piscinas. Crianças até cinco anos não pagam e até 8 anos é cobrada meia entrada.

Mais informações: (88) 9444 8967

9. Lapa Ecoturismo

O Sítio Lapa Ecoturismo fica bem pertinho do Sítio do Bosco, ainda em Tianguá, também muito bonito! Tem piscinas naturais, trilhas e mais vistas deslumbrantes.

A entrada do Sítio Lapa Ecoturismo é R$ 5 por pessoa.

10. São Benedito: plantação de flores

A maior plantação de rosas do Brasil fica no Ceará, na Serra da Ibiapaba, mais precisamente em São Benedito, na zona rural, no Sitio Fazenda Lagoa Jussara.

Com mais de 30 anos de atuação na produção de flores, a empresa Rosas Reijers oferece mais de 50 variedades de rosas, além de outros tipos de flores de corte como boca de leão, gipsofila, lírios, gérberas, além de flores em vaso.

No total, são 48 hectares de área produtiva que abastecem todo o território nacional, incluindo exportação para a Holanda. As rosas são cultivadas em sistema de semi hidroponia, e em picos de produção, são colhidos aproximadamente 170 mil botões ao dia.

Fonte: Cearensidade

São Benedito estava no nosso roteiro, mas não conseguimos ir até lá, dessa vez. Eu havia ido a São Benedito em outra viagem, sozinha, a trabalho, e garanto que o local é mesmo muito bonito. Vale a pena!

Fim de Expedição…

Na última noite da nossa expedição, depois de três intensos dias, fomos presenteados com uma chuvinha deliciosa. Família, friozinho bom, aventura.

Durante o jantar, Luquinhas capotou!

—————–

E, então, gostou das dicas? Torcendo aqui para que consiga fazer este roteiro ou descobrir muitas outras preciosidades naturais, por lá, com a família ou com os amigos! Compartilha essas dicas com outras pessoas! Felizes férias!

2 COMENTÁRIOS

  1. Adorei! Estive na serra da Ibiapaba em outubro passado com as crianças, e senti muita falta de dicas como essas. Vamos ter que voltar pra aproveitar seu roteiro! 😉☺️

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here